Como o monitoramento auxilia na redução de quebras operacionais

Você sabia que as perdas decorrentes de quebras operacionais estão entre os principais fatores de desperdício no varejo e, portanto, são um dos grandes desafios a serem enfrentados pelo setor?

A questão é tão latente que um estudo realizado pela Associação Brasileira dos Supermercados (Abras), estimou que tais perdas chegaram a comprometer quase 2% do faturamento bruto do setor supermercadista em 2019.

Se essa porcentagem ligou um sinal de alerta na sua cabeça, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre o assunto e entender o que pode ser feito para evitar que o problema chegue até o seu estabelecimento.

No post a seguir explicaremos o que você precisa saber para reduzir as quebras operacionais no varejo. Vamos começar?

Os tipos de perdas mais comuns

Em primeiro lugar, é importante que você saiba: todo e qualquer produto comprado pelo varejista com o objetivo de ser comercializado e que não chega ao cliente final pode ser considerado uma perda.

Dito isso, as perdas podem acontecer em diferentes etapas do processo, ou seja, desde o manuseio e armazenamento do produto até a frente do caixa. É por esse motivo que, quando o assunto é evitar prejuízos, a atenção precisa ser redobrada em todos os pontos da loja.

Segundo a Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe), entre os fatores que mais desencadeiam quebras operacionais estão:

  •         Vencimento de produtos;
  •         Deterioração das mercadorias;
  •         Produtos danificados por funcionários ou clientes;
  •         Armazenamento e exposição inadequados;
  •         Problemas ligados à refrigeração.

Como você viu até aqui, grande parte das perdas derivam de erros cometidos no dia a dia dos supermercados que poderiam ser evitados.

Considerando que essa conta pode sair cara para o varejista ao final do mês, é fundamental que os processos de prevenção e redução de perdas façam parte da rotina de qualquer empresa do setor, independentemente do porte.

Evitando as perdas

Um trabalho consistente de prevenção de quebras precisa considerar várias frentes.

Logo no transporte de mercadorias, por exemplo, as perdas podem ocorrer pelo acondicionamento incorreto dos produtos no caminhão. Por isso, é preciso estar atento à higienização do veículo, bem como à correta acomodação das embalagens e à temperatura específica que cada tipo de produto demanda.

Realizar um bom trabalho de gestão de estoque, que inclua padrões técnicos de qualidade desde o recebimento das mercadorias até o treinamento de funcionários, também pode contribuir significativamente com a minimização de imprevistos.

Não podemos esquecer, é claro, que a tecnologia tem despontado como uma das principais aliadas do varejo e pode ser muito bem empregada para reduzir as quebras operacionais.

Na sequência, daremos um exemplo de como a tecnologia pode ser usada no monitoramento de freezers e geladeiras, fator fundamental para evitar os problemas na armazenagem e exposição dos produtos.

Tendo a IoT como aliada

Quando os processos de armazenagem e exposição de mercadorias não são feitos da forma correta, as perdas se tornam inevitáveis. Um dos pontos de atenção neste sentido é respeitar a temperatura ideal de conservação dos produtos, principalmente para aqueles que devem ser mantidos congelados ou refrigerados.

Não raramente, os supermercados perdem alimentos perecíveis por não manterem a temperatura dos freezers dentro dos limites estabelecidos por lei, o que apenas reforça a importância da gestão de temperatura.

A boa notícia é que a tecnologia, por meio de sistemas de IoT (Internet das Coisas), tem favorecido o monitoramento preciso de balcões e geladeiras de forma fácil, rápida e remota.

Por meio de medidores sem fio instalados nos balcões ou câmaras frias, é possível acompanhar a temperatura de todos os equipamentos em tempo real e até mesmo receber alertas em caso de desvios da temperatura parametrizada.

Ou seja: além de reduzir o tempo gasto com medições manuais, esses sistemas entregam a medição precisa e agem preventivamente para reduzir as quebras operacionais.

Se você, assim como muitos outros varejistas, não quer perder mais tempo com a medição da temperatura dos balcões e consolidação das informações e, ainda, evitar as perdas que trazem grandes prejuízos ao seu negócio, clique aqui e saiba mais sobre o EasyTemp, sistema de monitoramento da temperatura de balcões e geladeiras da GreenYellow.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você também pode se interessar por:

Se inscreva para receber nossas newsletter e acompanhar todas as novidades GY.