Veja quais cuidados tomar no monitoramento da temperatura de balcões e geladeiras

Trabalhar com a comercialização de alimentos é uma responsabilidade e tanto, afinal, a entrega de produtos de qualidade e em boas condições de consumo impacta diretamente a saúde dos consumidores.

Entre as boas práticas que regem a segurança alimentar está o acompanhamento da temperatura de balcões e geladeiras, já que muitos alimentos precisam ser armazenados em uma temperatura específica para que não fiquem suscetíveis à multiplicação de microrganismos deteriorantes.

Para se ter uma ideia da seriedade do assunto, os estabelecimentos que não cumprem com as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) sobre o correto armazenamento dos alimentos e acompanhamento dos sistemas de refrigeração podem receber duras multas.

Além do mais, o armazenamento e exposição inadequados de produtos, bem como os problemas ligados à refrigeração, estão entre uma das principais causas de perdas no varejo.

As situações acima ligam um sinal de alerta para os supermercadistas e reforçam a importância de alguns cuidados fundamentais para o correto monitoramento da temperatura de balcões e câmaras frias.

Entre eles, está o acompanhamento constante para a rápida identificação e resolução de ocorrências nos sistemas de refrigeração. Recomenda-se, também, que sejam realizadas manutenções periódicas tanto nos equipamentos quanto nos sensores que medem a temperatura, para que eles estejam sempre atualizados e parametrizados.

IoT traz mais agilidade para o monitoramento

Como vimos até aqui, a gestão da temperatura dos ativos refrigerados e congelados é fundamental para evitar perdas de produtos e, principalmente, proteger a saúde dos consumidores.

No entanto, o monitoramento manual demanda tempo e, como diz o ditado, “tempo é dinheiro”.

A recomendação da ANVISA é que a temperatura dos equipamentos seja medida ao menos três vezes ao dia, sendo inclusive necessário que os varejistas mantenham os históricos de medições. Mas, quando essa medição é feita manualmente, o processo pode demorar bastante, havendo grandes chances de que um problema só seja identificado quando for tarde demais.

Para tornar a gestão mais eficiente, foram surgindo sistemas de IoT (Internet das Coisas) capazes de realizar o monitoramento remoto da temperatura de forma muito mais rápida e assertiva.

Por meio da instalação de medidores sem fio nos ativos e da definição de parâmetros máximos e mínimos de temperatura para cada um deles, os sistemas IoT coletam e analisam os dados referentes à refrigeração a cada poucos segundos, entregando informações completas sobre inconsistências.

A partir destas informações, é possível agir preventivamente e realizar ajustes antes que o problema se torne real e de maiores proporções, uma vez que a solução envia alertas em casos de desvios.

Somente um acompanhamento contínuo e preciso é capaz de identificar desvios operacionais sempre que eles ocorrem, permitindo a tomada de decisões assertiva e evitando inúmeros prejuízos ao setor.

Além disso, o correto monitoramento possibilita a identificação de oportunidades de otimização de processos e recursos para uma maior eficiência energética.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você também pode se interessar por:

Se inscreva para receber nossas newsletter e acompanhar todas as novidades GY.