Como a transição energética auxilia nas práticas de ESG?

Foi-se o tempo em que os negócios eram regidos apenas por fatores econômicos. O novo cenário atual, devido à pandemia da Covid-19, fez com que as coisas mudassem, trazendo à tona critérios que estão se destacando e acabam fazendo toda a diferença no mundo empresarial, fatores que não só afetam a percepção do público sobre a empresa, mas que também podem ser decisivos na hora de fechar negócio.

Um deles se resume a uma sigla de três letras: a ESG. Um conjunto de três fatores que, juntos, conseguem trazer resultados positivos para a sociedade sem deixar de lado a saúde financeira dos investimentos em questão.

No artigo de hoje, a ESG entra em foco para que você conheça um pouco mais sobre o assunto e descubra a real importância que ela vem conquistando no mundo organizacional. Mais que isso, vai entender como a transição energética está inserida nisso tudo, sendo parte fundamental da solução.

Acompanhe!

O que é ESG?

A ESG avalia as ações ambientais, sociais e de governança de uma empresa. Não à toa, as iniciais da sigla significam exatamente cada um desses critérios, porém escritos em inglês — Environmental, Social and Governance.

Quando uma organização se baseia nos princípios da ESG, ela demonstra que está empenhada em:

  • Minimizar seus impactos ecológicos;
  • Tomar atitudes a favor da sociedade;
  • Otimizar a administração da própria empresa.

Dito isso, fica mais fácil entender como tudo se liga às energias limpas e à eficiência energética. E é exatamente para esses tópicos que vamos partir.

Qual sua relação com a transição energética?

Como você já sabe, a primeira letra da sigla ESG tem a ver com as medidas que devemos tomar para cuidar do meio ambiente. Isso significa que sua empresa pode apostar em diversas iniciativas de preservação. Entre as mais conhecidas, podemos citar:

  • Reduzir e/ou eliminar o uso de gases do efeito estufa;
  • Gerenciar resíduos poluentes;
  • Incentivar ações de reflorestamento;
  • Combater o desmatamento;
  • Investir no uso de energia limpa;
  • Diminuir as emissões de carbono na atmosfera;
  • Reduzir o consumo de energia.

Prestou atenção a estas três últimas medidas que foram citadas? Pois bem, quando sua empresa passa a consumir energia proveniente de fontes renováveis e implementa ações de eficiência energética, é possível executá-las de uma única vez.

É o caso das organizações que contratam empresas especializadas nesse tipo de serviço, a fim de auxiliá-las na escolha da melhor solução em energia solar e em eficiência energética para realizarem todas ou a maioria de suas ações para a ESG.

O leque de opções para uso de energias renováveis engloba instalar usinas fotovoltaicas próximas ou dentro das unidades da empresa, construir suas próprias usinas solares ou alugar a energia de uma usina solar, como fazem Magazine Luiza, Claro e Oi.

Já em relação à eficiência energética, a opção é realizar auditorias nas unidades e identificar ações para reduzir o consumo. Esta, por sinal, é uma ótima forma de cumprir com as metas de sustentabilidade.

De um jeito ou de outro, uma coisa é certa. Quando uma empresa adota o uso da energia solar ou obtém uma redução no consumo, ela investe em uma alternativa que não agride a natureza, diminui a emissão de CO2 e ainda reduz os gastos na conta de energia.

Quer mais alguns motivos para aplicar a ESG na sua organização? Confira a seguir.

Por que devo fazer um investimento ESG?

As métricas da ESG vêm ganhando cada vez mais peso no mundo dos negócios. No ano passado, ela já havia entrado em discussão no Fórum Mundial Econômico. Agora, em 2021, tornou-se um compromisso direto de mais de 50 líderes empresariais.

Essa é uma atitude bastante significativa, uma vez que tende a ser colocada como critério de seleção para investidores, assim como os clientes das empresas que também vêm se mostrando mais atentos a essas políticas.

Dessa forma, não deve levar muito tempo até que todos os tipos de negócio passem a ser avaliados do mesmo jeito.

Para completar, um estudo da Boston Consulting Group (BCG) apontou que a prática de ações ESG aumenta a lucratividade das empresas, além de melhorar sua imagem de mercado no longo prazo.

———————————–

Como você pôde ver, a ESG é uma realidade que permite às organizações saírem ganhando em diversas escalas. Portanto, vale a pena ficar atento a esse assunto e colocá-lo em prática, investindo, por exemplo, em energia limpa e renovável ou em eficiência energética para as atividades da sua empresa.

E, como a energia solar é uma das melhores soluções, não vá embora sem antes conhecer os mitos e verdades que este assunto pode trazer.

Até a próxima!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você também pode se interessar por:

Se inscreva para receber nossas newsletter e acompanhar todas as novidades GY.