Entenda a importância da gestão inteligente de contratos no Mercado Livre de Energia

Ao atrelar a livre escolha a preços mais competitivos, previsibilidade de custos e flexibilidade, o Mercado Livre de Energia vem se destacando como uma opção cada vez mais rentável para empresas de diferentes setores.

Começando pelas principais vantagens deste modelo de contratação de energia, além da liberdade de negociação dos termos contratuais (preço, quantidade de energia contratada, período de suprimento e pagamento), temos o gerenciamento da energia como matéria-prima, incluindo preços únicos em qualquer horário do dia e isenção da cobrança de bandeiras tarifárias.

Em outras palavras, o Mercado Livre de Energia é uma alternativa vantajosa frente ao suprimento de concessionárias locais. Mas, apesar dos benefícios econômicos, vale lembrar que ele possui regras específicas que demandam uma gestão ainda mais próxima quando comparado ao Mercado Cativo.

Aqui, uma gestão inteligente dos contratos realizada por especialistas fará toda a diferença para uma operação bem-sucedida.

Na sequência, explicaremos o assunto mais a fundo a partir de dois momentos principais que compõem o trabalho da empresa responsável pela gestão de contratos. Acompanhe!

  1. Gerenciamento pré-migração

Uma boa gestão de energia elétrica começa antes mesmo que a migração aconteça, afinal, o primeiro passo é entender se a opção do Mercado Livre de Energia é realmente viável para a sua empresa.

Aqui, portanto, o mais importante é realizar um estudo sobre o perfil do cliente, incluindo questões como consumo, sazonalidade e ampliação de mercado. Somente a partir de uma análise aprofundada sobre as características da empresa é que será possível determinar o tipo de contratação mais indicada.

Vale lembrar que, atualmente, apenas consumidores de energia conectados em média tensão estão aptos a serem consumidores do Mercado Livre de Energia.

Os consumidores do Mercado Livre, por sua vez, estão divididos em duas categorias:

  • Consumidor “especial”, que tem demanda contratada entre 500 a 1.500 kW (quilowatts), como pequenas e médias indústrias, redes de lojas, shoppings e supermercados;
  • Consumidor livre, que possui demanda contratada acima de 1.500 kW.
  1. Gerenciamento pós-migração

Assim que a viabilidade for confirmada e a migração estiver concluída, entramos na fase de gestão pós-migração. Aqui, o objetivo é realizar um acompanhamento do consumo e garantir o cumprimento das regras e obrigações do Mercado Livre de Energia, a fim de evitar penalidades que podem ir de multas a processos de desligamento.

De forma geral, as empresas responsáveis pela gestão dos contratos de energia acompanham aspectos como consumo x compra de energia e, a cumprimento das obrigatoriedades com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), realizam análises das faturas e do sistema de distribuição, emitem relatórios mensais e monitoram oportunidades e riscos em curto e médio prazos.

Ou seja: a gestão inteligente vai muito além de acompanhar se o cliente está recebendo energia adequada para a sua demanda.

Ela faz com que o cliente maximize os ganhos por meio de um acompanhamento a fundo, que permite, entre outras coisas, a gestão de modulação do contrato e a alteração de processos produtivos e de demanda quando necessário.

As vantagens da gestão inteligente

Um bom gerenciamento dos contratos de Mercado Livre de Energia deve ser parte da rotina das empresas que desejam atuar de maneira mais sustentável e, também, reduzir os custos de energia no seu negócio.

Entre os benefícios provenientes de uma gestão inteligente, destacam-se:

  • Estratégias mais consistentes de consumo: com uma boa análise do perfil do cliente e uma boa gestão, é possível entender o quanto a empresa gastará durante o processo de migração e traçar estratégias de contratação de energia que minimizam os riscos do mercado de curto prazo, possibilitando projeção dos ganhos que ela terá em curto, médio e longo prazos;
  • Monitoramento processual: ao monitorar a operacionalização dos contratos de energia junto à CCEE, a empresa não corre o risco de cometer erros processuais que resultem no pagamento de multas ou até mesmo no desligamento do consumidor junto à CCEE;
  • Resultados financeiros afinados: a partir de relatórios técnicos mensais, que demonstrem o quanto a empresa economizou com as operações realizadas, é possível identificar pontos de melhoria e, ainda, modificar ou migrar para outras estratégias comerciais. Esses relatórios demonstram a comparação entre os valores pagos pelo consumidor no Mercado Livre e os que seriam exigidos pelo Mercado Cativo pelo mesmo montante de energia.

Como você viu até aqui, o Mercado Livre de Energia é realmente mais vantajoso frente ao Mercado Cativo, porém, demanda um acompanhamento mais especializado, mas que vale a pena.

Se você deseja entender mais sobre o assunto e se aprofundar no que é necessário para a realização de um estudo de migração, clique aqui e confira o conteúdo que preparamos sobre o assunto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você também pode se interessar por:

Se inscreva para receber nossas newsletter e acompanhar todas as novidades GY.