Por que a eficiência energética é tão importante em momentos de crise hídrica?

O ano era 2001. Nosso país sofria diversos apagões sem precedentes. Tanto casas quanto indústrias precisaram racionar energia em mais da metade dos nossos estados. Diante de tamanha crise energética, acreditava-se que o país se conscientizaria, medidas seriam tomadas e não precisaríamos passar por isso de novo.

Agora o ano é 2021. Duas décadas depois daquele fatídico ano em que o fornecimento de energia era uma grande preocupação, voltamos a sofrer do mesmo mal. Por mais que as autoridades e especialistas ainda não cogitem o racionamento, também não descartam a possibilidade de apagões.

O principal motivo para o retorno da preocupação com o fornecimento de energia é que estamos em crise hídrica – e não somente isso: é a pior em 91 anos, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Mais da metade do fornecimento energético brasileiro se dá por hidrelétricas. A escassez de chuvas faz com que o governo precise acionar as usinas termelétricas, que são uma opção mais cara. O resultado disso é um aumento significativo nas contas de energia de boa parte da população.

Confira nosso post sobre Bandeira Tarifária e entenda de forma descomplicada como era o sistema de cobrança de energia no Brasil e como passou a ser.
(https://greenyellow.com.br/2020/05/26/descomplicando-entendendo-bandeira-tarifaria/)

Segundo o Indicador de Custos Industriais (ICI) feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), os custos neste segmento vêm subindo desde o ano passado. O valor aumentou em 8,6% no terceiro trimestre de 2020. É o maior indicador já registrado desde 2006. Como a energia é parte essencial dos processos industriais, o aumento dos custos energéticos resulta na crescente das despesas e aumento do preço dos produtos finais.

No varejo não é diferente. Comerciantes sofrem duplamente: no aumento direto das despesas com energia elétrica e no reflexo que se dá nos preços em todos os setores do varejo.

Aliás, o impacto da crise nos custos de energia se dá independentemente da modalidade de contratação de energia. Para os consumidores cativos, que são aqueles que têm acesso à energia com tarifas estabelecidas pelo governo, os impactos são aplicados mensalmente na fatura de energia via bandeiras tarifárias. Já os consumidores livres, que são aqueles que negociam suas condições de contratação diretamente com as comercializadoras de energia, além das bandeiras tarifárias, eles ainda estão sujeitos a grandes variações de preço no curto prazo, uma vez que o custo da energia está ligado à oferta e demanda.

Isso tudo nos mostra que o uso racional de energia e a eficiência energética se tornam ainda mais importantes nos momentos de crise.

 

O que é eficiência energética?

Eficiência energética é obter a melhor performance de um sistema com o mínimo de consumo energético. É uma atividade que busca melhorar o uso das fontes de energia, aumentando a economia e obtendo os mesmos resultados – ou até melhorando-os.

Por exemplo, uma lâmpada LED de 7W ilumina o mesmo que uma lâmpada incandescente de 60W. Entretanto, há uma economia de 53W por hora usando a lâmpada LED. Uma economia que chega a quase 90%.

Além disso, a duração da LED é 50 vezes maior e o calor que a lâmpada transfere para o ambiente é menor, diminuindo a necessidade de equipamentos para climatizar o ambiente.

 

Como a eficiência energética tem ajudado as empresas?

Em consulta feita pela CNI com as indústrias sobre os as medidas adotadas para responder à crise hídrica, 34% das medidas estão ligadas a investimentos ou adoção de ações em eficiência energética. Enquanto 26% investiram na autogeração de energia, 22% optaram por mudanças na operação, 18% por tratamento e reuso de água e os outros 33% não tomaram medidas ou não souberam dizer.

As empresas mais preparadas do mercado brasileiro estão usando a eficiência energética para reduzir seus custos e trazer cada vez mais diferenciais competitivos para seus modelos de negócio. A boa notícia é que o uso dessas práticas pode ser feito por todos e está facilmente ao alcance de sua empresa.

A eficiência energética é a busca por soluções, desde questões mais simples até as mais complexas, para diminuir os custos com energia e otimizar a performance dos sistemas consumidores de energia.

 

Como reduzir o consumo energético?

Antes de implementar qualquer ação para reduzir o consumo, é importante conseguir mensurá-lo. É preciso ter a capacidade de medir o consumo de energia inclusive para os diferentes sistemas, principalmente para as indústrias que possuem alto consumo distribuído em diversos setores. Dessa forma, podemos criar um indicador de eficiência e avaliar os pontos de melhoria por sistemas ou setores de consumo.

A partir do momento em que você tiver conhecimento sobre os gastos energéticos de todas as partes de sua empresa, é possível determinar soluções específicas para cada situação. Desde as mais simples, como mudanças de comportamento da equipe e operação, até investimentos mais robustos em sistemas mais eficientes, como um retrofit de equipamentos.

Em tempos de crise hídrica, pensar em soluções para reduzir o consumo energético e manter a eficiência passa a ser primordial para manter a produção em alto nível.

Por isso mesmo, a GreenYellow cria projetos e soluções personalizadas para todos os tipos de empresa. Você pode começar desde já a fazer uso racional de fontes de energia, otimizando sua performance e diminuindo os custos.

Acesse o site da GreenYellow, entenda como operamos com eficiência energética e comece desde já a adotar as melhores práticas energéticas no seu negócio:
https://greenyellow.com.br/eficiencia-energetica/

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você também pode se interessar por:

Se inscreva para receber nossas newsletter e acompanhar todas as novidades GY.