Refrigeração industrial e eficiência energética: entenda a relação

imagem Refrigeração industrial e eficiência energética: entenda a relação

É difícil imaginar o mundo atual sem refrigeração. As tecnologias que estão a serviço desse processo se tornaram indispensáveis para muitas atividades humanas. Particularmente, a refrigeração industrial tem um papel crucial em diversos setores, desde a indústria de alimentos e bebidas até a farmacêutica e química.

Mas o consumo energético associado a esse processo pode ser significativo, representando uma parcela expressiva dos custos operacionais. Não à toa, a eficiência energética é uma preocupação crescente com o avanço da indústria 4.0.

Neste artigo, vamos desmistificar os principais aspectos sobre a relação entre refrigeração industrial e eficiência energética. Ao continuar a leitura, você também verá algumas estratégias para otimizar o consumo de energia elétrica nesse contexto específico. Boa leitura!

O que é a refrigeração industrial?

Refrigeração industrial é uma área da engenharia que se dedica ao controle e à manutenção da temperatura em ambientes industriais e processos industriais que requerem baixas temperaturas.

Ela é essencial para diversas indústrias, como a indústria alimentícia, farmacêutica, química e de petróleo e gás, onde o resfriamento adequado é necessário para a preservação de produtos, armazenamento, processos de produção e controle de temperatura em equipamentos.

Esses sistemas geralmente são compostos por compressores, condensadores, evaporadores, válvulas de controle, tubulações e outros componentes relacionados. Eles utilizam diferentes tecnologias de resfriamento, como compressão de vapor, refrigeração por absorção e refrigeração criogênica.

Qual a sua importância?

Ela desempenha um papel importante no resfriamento de equipamentos e maquinários industriais, como geradores de energia, turbinas, motores elétricos e sistemas de controle de processos, ajudando a prevenir o superaquecimento e garantir o funcionamento eficiente desses equipamentos.

Vale destacar que a refrigeração pode ser dividida conceitualmente em dois segmentos: comercial e industrial. Enquanto a refrigeração industrial abrange os ambientes e os processos da produção até o armazenamento dos produtos, a refrigeração comercial lida com o armazenamento, o transporte e a venda dos produtos ao consumidor final.

Na prática, sabemos que muitos fatores indesejáveis interferem nos objetivos de uma boa refrigeração industrial. Alguns deles são:

·        falta ou falha de manutenção;

·        unidades sujas;

·       obstrução da circulação do ar;

·        instalação inadequada dos equipamentos;

·        uso de fluido refrigerante de qualidade
duvidosa.

Esses problemas podem gerar consequências sérias que impactam a rotina das empresas, como o aumento no consumo de energia e a diminuição da vida útil dos equipamentos.

Qual é a relação entre refrigeração industrial e eficiência energética?

A refrigeração industrial é indispensável em muitos setores, como alimentício, farmacêutico e químico. Porém, os sistemas de refrigeração também são uma das maiores fontes de consumo de energia elétrica nas fábricas. Isso significa que não é possível manter uma refrigeração industrial financeiramente sustentável sem a busca por eficiência energética.

Os números falam por si. Cerca de 75% dos gastos com um sistema de refrigeração, ao longo de sua vida útil, são destinados à eletricidade, podendo ser até cinco vezes maior do que o investimento inicial de compra e instalação. Os dados são do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), divulgados em cartilha da ABRAVA.

Uma alta eficiência energética significa gerar a temperatura de resfriamento necessária com menor quantidade de energia elétrica. Ou seja, fazer o mesmo trabalho de resfriamento, mas com um consumo reduzido.

A relação entre refrigeração industrial e eficiência energética fica ainda mais clara quando olhamos para o Coeficiente de Performance (COP), um indicador de desempenho energético presente em todo equipamento de refrigeração.

Quanto maior o COP, melhor é o desempenho energético, pois significa que o equipamento gera uma mesma capacidade de frio, gastando menos energia elétrica.

Resumidamente, podemos dizer que a eficiência energética na refrigeração industrial é uma abordagem sustentável, economicamente viável, que garante a operação eficiente e econômica dos sistemas de refrigeração nas fábricas.

Como aumentar a eficiência energética na refrigeração?

Aprenda a gerar o frio necessário com menor consumo de energia elétrica, obtendo como resultado uma conta de energia mais baixa.

Selecione o fluido refrigerante adequado

Um bom fluido refrigerante é essencial para garantir a eficiência do sistema de refrigeração industrial. Esse componente é responsável por absorver o calor do ambiente interno e transferi-lo para fora do sistema, permitindo a geração de frio.

No entanto, caso o fluido refrigerante esteja contaminado com umidade, gases não condensáveis e outras impurezas, ele pode causar danos ao equipamento e comprometer o desempenho do sistema.

Por isso, é fundamental selecionar um fluido refrigerante de qualidade, que garanta a sua pureza e segurança durante o manuseio, operação, transporte e armazenamento. É importante verificar, por exemplo, as informações presentes na embalagem, como número de lote, peso líquido, razão social, endereço, CNPJ do fabricante, origem e composição.

É recomendado adquirir os fluidos refrigerantes de distribuidores autorizados, além de contar com profissionais qualificados para o seu manuseio.

Aposte na modulação de capacidade na refrigeração

Ao selecionar um equipamento de refrigeração, é comum que o responsável leve em consideração o momento mais crítico da operação, para garantir que o aparelho esteja corretamente dimensionado para essa situação.

No entanto, essa abordagem resulta em subutilização do equipamento nos períodos de menor demanda, gerando um consumo excessivo de energia. É aí que a modulação de capacidade se torna essencial. Esse processo consiste em utilizar o equipamento de refrigeração conforme a necessidade de cada momento.

A capacidade de ajustar automaticamente a potência de refrigeração conforme a demanda real tem efeitos positivos. Afinal, durante os períodos de baixa necessidade, os sistemas de modulação de capacidade permitem que os equipamentos operem para evitar o consumo excessivo de energia.

Use o compressor no tamanho adequado

A energia consumida por um compressor representa boa parte dos custos operacionais da vida útil de um equipamento. Por isso, é de extrema importância garantir que o compressor utilizado na refrigeração industrial seja dimensionado adequadamente.

Um compressor superdimensionado pode resultar em desperdício de energia, enquanto um compressor subdimensionado pode operar com sobrecarga, consumindo mais para atender à demanda.

Saiba quando fazer o retrofit

O retrofit é a modernização de equipamentos considerados ultrapassados ou fora das normas. Ao contar com uma empresa habilitada para avaliação, é possível identificar a viabilidade dessa atualização.

Em alguns casos, pode ser inviável realizar o retrofit de determinados equipamentos devido aos altos custos de restauração ou inviabilidade técnica de atualização. Nesses casos, a recomendação é a substituição dos equipamentos.

Invista em fontes renováveis de energia

Além de contribuir para a preservação do meio ambiente, o uso de fontes renováveis de energia, como a energia solar, pode trazer uma série de benefícios para o setor industrial.

A energia solar é uma opção limpa, sustentável e abundante, que pode ser utilizada para alimentar sistemas de refrigeração industrial. É uma solução que reduz a dependência de uma indústria das fontes de energia não renováveis, tendendo a resultar em uma taxa cada vez menor de emissão de poluentes na atmosfera.

Como uma refrigeração industrial eficiente diminui o impacto ao meio ambiente?

O mundo enfrenta um ciclo vicioso. Quando os sistemas de refrigeração são ineficientes, consomem mais energia e aumentam a poluição proveniente de fontes não renováveis, contribuindo para o aquecimento global. Por isso, a busca por eficiência energética na refrigeração industrialé uma peça-chave para a proteção do meio ambiente.

À medida que o planeta se torna cada vez mais quente, a demanda por refrigeração cresce ano após ano, criando um ciclo prejudicial de consumo excessivo de energia e emissões de gases poluentes. De acordo com relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), estima-se que a demanda global por sistemas de refrigeração triplicará até 2050.

Investir em eficiência energética na refrigeração industrial é um passo crucial para minimizarmos os impactos que virão com o aumento da demanda por energia nos próximos anos. Felizmente, não faltam medidas que reduzam o consumo energético e a emissões de gases poluentes, como a modulação de capacidade e a atualização dos equipamentos.

Em resumo, podemos dizer que a refrigeração industrial e a eficiência energética caminham juntas rumo a um futuro sustentável. Com estratégias inovadoras e o uso de fontes renováveis, é possível obter benefícios econômicos e ambientais significativos. Portanto, não perca tempo e transforme sua indústria em uma agente da mudança!

Quer acompanhar nossas novidades e dicas sobre eficiência energética? Siga a GreenYellow nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn e no YouTube.

Posts relacionados

Case de sucesso: eficiência energética inteligente para o Grupo Casas Bahia

O papel das empresas na luta contra as mudanças climáticas

GreenYellow investe R$ 14,5 mi em contratos de eficiência energética com redes de varejo

Mercado livre de energia: como funciona em 2024?