ESG nas empresas: confira 9 dicas de práticas ambientais

imagem ESG nas empresas: confira 9 dicas de práticas ambientais

Por que certos investimentos funcionam melhor do que outros? Por que algumas empresas parecem mais atrativas para potenciais parceiros comerciais e ficam à frente de suas concorrentes? A resposta depende de um conjunto de fatores. Um dos destaques são as práticas ESG nas empresas.

ESG, do inglês, Environmental, Social and Governance (Meio Ambiente, Social e Governança).

é um conjunto de padrões usados para medir o desempenho das companhias em termos de sua responsabilidade ambiental, impacto social e práticas de governança corporativa que surgiu como uma forma de medir a sustentabilidade dos investimentos. Ele é composto de três pilares:

  1. A responsabilidade ambiental concentra-se em como as companhias administram seu impacto sobre o meio ambiente através de práticas como a redução de emissões ou a utilização de fontes renováveis de energia.
  1. A responsabilidade social analisa a forma como as empresas interagem com suas comunidades, proporcionando salários de vida e promovendo iniciativas de diversidade no local de trabalho.
  1. Governança Corporativa examina as políticas da companhia relacionadas com remuneração executiva, independência da diretoria e direitos dos acionistas entre outras áreas que podem afetar o sucesso de uma organização a longo prazo.

As empresas estão agora tomando medidas para garantir que tenham uma estrutura sólida de ESG em vigor para não apenas cumprir a conformidade regulamentar, mas também, reduzir o risco operacional e impulsionar o desempenho financeiro. Ao incorporar critérios de ESG em suas operações, as empresas podem construir confiança com os investidores, fortalecer as relações com as partes interessadas e demonstrar compromisso com práticas sustentáveis.

Com base nisso, parceiros comerciais definem se uma empresa é uma opção de investimento sustentável realmente viável. Então, seja você dono de um grande ou pequeno negócio, a ESG é uma estrutura a ser adotada para obter os benefícios de ser uma marca reconhecida como sustentável.

Fique de olho nas 9 práticas de ESG nas empresas que separamos neste artigo e entenda como elas beneficiarão seu negócio. Vamos focar, principalmente, nas melhores práticas ambientais (representadas na letra “E” da sigla ESG) que podem tornar seu negócio mais “verde”.

1. Reduzir o consumo de energia

Investir em eficiência energética é, sem dúvida, uma das formas mais sustentáveis de manter uma empresa em funcionamento.

Esquecer uma lâmpada acesa ou usar água de forma excessiva pode parecer um desperdício inofensivo, o que não é verdade. O consumo de energia elétrica provoca impactos ambientais, da mesma forma que a maioria das atividades humanas.

Por essa razão, é importante estimular uma cultura de economia de energia. Isso pode ser feito por meio de práticas simples, como incentivar a equipe a desligar as luzes e os computadores após o expediente, desligar o ar-condicionado e substituir lâmpadas fluorescentes (compostas de mercúrio, substância nociva para o meio ambiente) por lâmpadas LED.

A implementação de uma iluminação energeticamente eficiente, operada por sensores, é outra solução interessante. As luzes se apagam quando as salas não estão em uso e acendem quando alguém estiver nos ambientes. Como resultado, sua empresa minimiza os impactos ambientais e ainda gera uma economia na fatura de energia

2. Reduzir a pegada de carbono

A expressão “pegada de carbono” é muito usada quando se fala em meio ambiente e mudanças climáticas, mas nem sempre é compreendida.

Pegada de carbono é uma métrica para avaliar a emissão total de gases de efeito estufa na atmosfera como resultado das ações de indivíduos, organizações ou nações inteiras. Geralmente, é medido em toneladas de CO2e (dióxido de carbono equivalente).

Sua empresa pode minimizar a pegada de carbono e ajudar o meio ambiente de muitas maneiras. Basta fazer ações como reduzir a quantidade de energia que usa, promover viagens de maneira inteligente e reduzir o desperdício.

É um investimento bom não apenas para o meio ambiente, mas também para o orçamento. Investidores que monitoram os padrões ESG nas empresas estão em busca de organizações verdes que, desde a aquisição de matéria-prima até a fabricação, emitem uma quantidade de gases de efeito estufa próxima a zero.

3. Utilizar energias renováveis

À medida que a população mundial cresce e as fontes tradicionais de combustível (carvão, petróleo e gás natural) podem se tornar escassas, as empresas precisam começar a investir em fontes alternativas de energia, como a energia solar e eólica.

Os sistemas sustentáveis de geração de energia são criados a partir de fontes que se reabastecem naturalmente, como luz solar, vento, água e até calor geotérmico (subterrâneo).

A infraestrutura necessária para adotar os sistemas alternativos de energia é cada vez mais viável no Brasil e no mundo. Como resultado, mais empresas estão reduzindo o consumo de energia produzida da queima de combustível fóssil e abraçando as fontes renováveis.

4. Instalar pontos de coleta seletiva

Toda empresa tem a responsabilidade de separar o lixo e fazer a coleta seletiva. Essa prática é o que evita o descarte inadequado de objetos danosos ao meio ambiente, além do acúmulo de lixo em ribanceiras, entulhos nos esgotos e contaminação das águas.

Uma das formas mais comuns de coleta seletiva hoje existentes no Brasil é a coleta por Pontos de Entrega Voluntária (PEVs). Sua empresa pode instalar PEVs em locais situados estrategicamente para garantir a entrega dos resíduos segregados e a posterior coleta pelo poder público.

5. Reduzir o consumo de descartáveis

Os plásticos descartáveis podem ser convenientes, mas são bastante prejudiciais ao meio ambiente. Eles não apenas poluem os cursos de água e os oceanos, mas também requerem energia para reciclar. 

Seu escritório pode parar de usar objetos como copos de café e talheres descartáveis para reduzir a pegada de carbono da empresa.

6. Realizar o descarte correto de lixo eletrônico

Todo lixo eletrônico é composto de produtos químicos mortais, como chumbo, berílio e mercúrio. O descarte inadequado de aparelhos e dispositivos aumenta as chances de esses produtos químicos contaminarem o solo e poluírem o ar.

A primeira recomendação é verificar com o fabricante de determinado equipamento se há um ponto de coleta próximo à empresa. Também é importante manter as baterias de lítio dentro dos equipamentos no momento da coleta.

Além disso, em vez de levar aparelhos eletrônicos para a lata do lixo, avalie a possibilidade de fazer doações. Aparelhos antigos que sua empresa não precisa mais, embora ainda estejam em boas condições de uso, podem ser úteis para outras pessoas. Um computador mais antigo, por exemplo, pode ser útil para uma ONG (Organização Não Governamental) ou para estudantes de uma escola.

7. Aderir ao arquivo digital

Nunca foi tão fácil armazenar e compartilhar documentos. Seja usando armazenamento em nuvem, seja realizando videoconferência (em vez de viagens), você pode reduzir a quantidade de resíduos e emissões de carbono da sua empresa. 

Mantenha a rotina da sua equipe afastada de documentos impressos sempre que possível e incentive as pessoas a trabalhar com arquivos digitais no local de trabalho.

8. Estar em dia com as leis ambientais

Estar de acordo com a legislação ambiental é um pré-requisito para uma empresa exercer sua responsabilidade socioambiental e ser bem avaliada a partir dos padrões ESG.

No entanto, a legislação ambiental brasileira é repleta de leis, resoluções, atos normativos e decretos, além de estar em constante mudança. Tudo isso torna o alinhamento da empresa com a legislação ambiental um grande desafio.

Entender qual é a legislação aplicada sobre a empresa e como manter-se em dia com as leis demanda tempo, dedicação e auxílio de pessoas especializadas. Afinal, não basta saber quais são as leis, é preciso entender como funcionam e as suas aplicações.

9. Ser transparente

A transparência é um componente crucial da sua estratégia ESG. Sem ela, seus dados carecem de precisão e de validade. Felizmente, existem maneiras pelas quais as empresas podem aumentar a transparência de suas questões ambientais, sociais e de governança. 

Para melhorar a visualização de dados, por exemplo, comunique externamente seus resultados e a redução das suas práticas no meio ambiente, sempre com clareza, confiabilidade e relevância.

As ações de ESG não devem ser apenas um componente do seu negócio, mas sim um dos pilares da sua estratégia. Para que suas ações sejam contemplativas e determinantes para o dia a dia da operação, é importante que o futuro da empresa seja pensado com base nesse modelo.

Por estar cada vez mais em evidência no mercado, as práticas de ESG acabam por agregar valor e atrair investidores, caracterizando-se como um diferencial competitivo de mercado.

Com as dicas de ESG nas empresas que vimos até aqui, você tem um ponto de partida para colocar seu negócio em um caminho mais sustentável.

Quer saber mais sobre ESG?Entenda tudo sobre como a energia renovável pode contribuir com o conjunto de práticas sustentáveis.

Posts relacionados

Case de sucesso de empresa sustentável: conta de energia em baixa na Rede Assaí

Case de sucesso: eficiência energética inteligente para o Grupo Casas Bahia

O papel das empresas na luta contra as mudanças climáticas

Transforme seu negócio com o marketing verde: descubra o que é, vantagens e exemplos

Economizar energia com inovação: o impacto das soluções de eficiência energética na Leroy Merlin

Eficiência energética na indústria: confira as tendências do setor

GreenYellow fecha parceria com Enerzee para expandir atuação no mercado de telhados C&I